sábado, 9 de fevereiro de 2013

Acontece na Câmara Municipal de São Paulo evento criado por resolução da ONU

A Câmara Municipal de São Paulo recebeu no dia 7 de fevereiro de 2013 o Encontro em Comemoração à Semana da Harmonia Inter-religiosa.
Evento realizado com o apoio do vereador Gilberto Natalini (PV), em parceria com diversas lideranças religiosas.

A proposta da Semana da Harmonia Inter-religiosa Mundial foi apresentada pela primeira vez na Assembleia Geral da ONU, em 23 de setembro de 2010, pelo Rei Abdullah II, da Jordânia. Pouco menos de um mês depois, em 20 de outubro, foi aprovada por unanimidade e, desde então, a primeira semana de fevereiro é dedicada à celebração do evento.

Na resolução, a Assembleia Geral aponta que a compreensão mútua e o diálogo inter-religioso constituem dimensões importantes de uma cultura de paz e estabelece a semana como forma de promover a coexistência pacífica entre todas as pessoas, independentemente de sua fé.

Mohamed Al Bukai, diretor de assuntos islâmicos na União Nacional Islâmica, afirma que o diálogo entre os diferentes credos é possível, pois todos compartilham certos valores comuns, como o amor ao próximo, por exemplo. “Se a gente pesquisar, vai perceber isso, que a paz é um valor de todas as religiões. Nós precisamos que todas as religiões convoquem seus fiéis a aplicar isso em suas vidas”, afirmou Al Bukai.

Além do xeique Al Bukai, fizeram parte da da mesa do evento o rabino Gilberto Ventura; o padre Kyrirlos Carlos, da Igreja Bielorussa Eslava; o bispo Marcelo Rezende, da Igreja Católica Liberal;  pastor Valter, da Assembleia de Deus; Robson Dias, da Comunidade Evangélica Makadesh; Sandra Santos, presidente da Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo; e o Sacerdote Mahesvara, do Movimento Hare Krishna e Neudir Simão Farabolli, do unificacionaismo. O coordenador da mesa foi o professor Samuel Luz, presidente da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania. O Reverendo Christian Lepelletier foi o mestre  de cerimônias.

Para Natalini, as religiões podem exercer um papel importante na redução da violência, um dos maiores problemas paulistanos. “Numa cidade como São Paulo, uma cultura de paz, mais que uma proposta, é uma necessidade. E as religiões como um todo são cultuadoras da paz, são propagadoras dessa cultura de paz”, disse.

O vereador é autor do Projeto de Resolução (PR) 01/2007, que dispõe sobre a criação do Conselho Parlamentar pela Cultura da Paz e Município Saudável. O colegiado teria, entre suas atribuições, formular diretrizes, sugerir a promoção de atividades comunitárias e parlamentares pela paz e por uma melhor qualidade de vida, além de fomentar medidas efetivas na busca desses objetivos nas esferas sócio-econômicas, políticas, ambientais, religiosas e culturais.

Fonte: CMSP
           Google imagens




Postar um comentário