terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Raio atinge Vaticano no dia da renúncia do Papa. Teria isso algum significado?

No dia em que Bento 16 renunciou à chefia da Igreja Católica, alegando limitações à sua missão por conta da idade, (tem 86 anos), um raio atingiu a Basílica de São Pedro, no Vaticano.

A imagem abaixo foi registrada pelo fotógrafo Filippo Monteforte, da agência AFP. Esse fenômeno da natureza teria algum significado especial nesse momento de expectação no mundo inteiro?

O G1 acompanhou a repercussão no Brasil e exterior da renúncia do papa. Leiamos alguns depoimentos:
Dom Claudio Hummes
Arcebispo emérito de São Paulo, prefeito emérito da Congregação para o Clero, disse: "Um gesto de muita sabedoria e muita humildade" a saída e que a renúncia "não é uma anomalia, uma anormalidade". Hummes é um dos brasileiros que irá participar do conclave.
CNBB
O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno, afirmou que foi um "sinal de humildade e grandeza" do Papa ao admitir "limitações físicas e também de ordem de espírito".
Já o secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, disse que já havia percebido sinais de "dificuldades" físicas do pontífice, durante encontro em dezembro, em Roma. "Estava muito lúcido, muito presente em todas as discussões e muito bem humorado. Mas sentimos que, fisicamente, já vinha com dificuldades no caminhar."
Nota oficial da CNBB
Igreja brasileira disse ser grata a Bento XVI e que "acolhe com amor filial as razões apresentadas".
Aparecida (SP)
O bispo auxiliar da Arquidiocese de Aparecida e ex-reitor do Santuário Nacional, monsenhor Darci Nicioli, de 53 anos, afirmou que a decisão "dói no coração". Segundo ele, brasileiros têm chance de assumir o papado.
Vitória (ES)
O arcebispo de Vitória, dom Luiz Mancilha Vilela, afirmou que, apesar da decisão surpreender os católicos, foi "sábia" e um ato inteligente.
Padre Marcelo Rossi
O padre se pronunciou no Facebook sobre a saída do Papa, afirmando que irá orar e pedir que "Jesus faça o melhor para nossa Santa Igreja" 
Presidente dos EUA Obama
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que vai orar por Bento XVI e desejou "sorte" aos encarregados de selecionar o sucessor. "A Igreja tem um papel decisivo para os Estados Unidos e o mundo", afirmou.
Alemanha
A Alemanha expressa seu "respeito" e sua "gratidão" ao Papa. "Como um cristão e um católico, não posso deixar de me comover e ser tocado por isso", afirmou o porta-voz do governo Steffen Seibert em entrevista coletiva.
Chanceler alemã
A chanceler da Alemanha, país natal do Papa, Angela Merkel, afirmou que "se o próprio Papa, após uma reflexão completa, chegou à conclusão de que não tem forças para continuar com seus deveres, então esta [decisão] tem meu máximo respeito", afirmou.
Irmão do Papa
"A idade oprime", afirmou o irmão do Papa Bento XVI, Georg Ratzinger de Regensburg, ao sul da Alemanha. Ele disse que sabia de antemão sobre a renúncia e a qualificou de "processo natural".
Israel
O chefe rabino de Israel Yona Metzger afirmou, segundo seu porta-voz, que "durante seu período [como Papa] houve a melhor relação possível entre a igreja e o rabinato e nós esperamos que essa tendência continue". Metzger ainda desejou "boa saúde e longos dias" ao Papa, conforme o porta-voz
França
O presidente francês, François Hollande, afirmou que considera a decisão do Papa "respeitável". "Não me cabe fazer comentários sobre essa decisão que pertence à igreja. Não tenho que dizer se está correto. É uma decisão que reflete uma vontade que tem que ser respeitada", afirmou a jornalistas.
Itália
O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, afirmou que está "muito alterado por conta desta notícia inesperada, disse aos jornalistas durante um congresso em Milão.
União Europeia
"Expresso todo meu respeito ao Papa que, em que pesem as dificuldades de sua Igreja, soube dar esperança aos que creem", afirmou o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz

Fontes: G1
           BBC Brasil
           Google images
           You tube
Postar um comentário