quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Prefeito Fernando Haddad pede paz para São Paulo no Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa


Lideranças de diferentes segmentos religiosos participaram do Ato em lembrança ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, 21 de Janeiro, no Vale do Anhangabaú, que contou com a presença o Prefeito Fernando Haddad, do Secretário Especial de Promoção da Igualdade Racial, Netinho de Paula e de várias autoridades civis, dentre as quais a Ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Promoção de Políticas para a Igualdade Racial, SEPPIR.


Na abertura do evento os representantes dos diversos segmentos religiosos presentes, judeus, mulçumanos, evangélicos, católicos, indígenas e de religiões de matrizes africanas, fizeram uso da palavra em promoção de uma cultura de paz e liberdade religiosa. Todos enfatizaram a importância do respeito na diversidade. O momento foi solidariedade e cooperação na busca de uma sociedade melhor.

Em sua fala o prefeito Fernando Haddad pediu paz e convivência harmoniosa na cidade de São Paulo. "Nós queremos mais paz na nossa cidade. Queremos que as pessoas se sintam mais seguras. Sabemos que para isso não é só reprimir a intolerância. É também cultivar, é educar, é aproximar. É fazer com que as pessoas percebam a diversidade como uma grande vantagem da cidade de São Paulo, que sempre soube acolher pessoas de todo o Brasil e do mundo", afirmou Haddad.

Este foi o primeiro evento da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial, comandada por Netinho de Paula. "Hoje é um dia especial, particularmente para todas as lideranças do movimento negro, porque hoje pedimos igualdade e fazemos uma reflexão sobre a liberdade de religiosa", destacou Netinho de Paula.

“É lamentável que em pleno Século XXI, uma sacerdotisa, Mão Gilda, de Salvador, teve que morrer, em decorrência da perseguição e intolerância, no dia 21 de Janeiro do ano 2000, para que o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa fosse instituído oficialmente no Brasil, não para ser celebrado, mas para ser um memorial das consequências trágicas da intolerância". relembrou a líder do INTECAB-SP (Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira).

Toninho Macedo, líder da ABAÇAÍ Cultura e Arte, reafirmou a importância de eventos como esse do Anhangabaú. "A trans-religiosidade é uma realidade em nossa sociedade. Há uma diversidade de credos, mas o respeito aos diferentes deve ser a tônica nos relacionamentos. Quando a Prefeitura de uma das maiores cidades do mundo coloca lado a lado lideranças dos mais diferentes segmentos e anuncia a criação de um Grupo de Trabalho sobre a liberdade religiosa com o fim de se estabelecer políticas públicas através de ações afirmativas, trata-se de uma grande iniciativa. Somos todos multiplicadores. Ninguém vem a um evento como esse para impor a sua religião ou para demonizar a religião do outro, mas para promover uma cultura de paz e liberdade de crença. Parabéns aos organizadores", comentou o líder cultural.

Comentário:

Também estive no evento e pude destacar o pensamento bíblico de Tiago 3: 18 – “Ora, é em paz que se semeia o fruto da Justiça, para todos aqueles que promovem a Paz”.

Esse foi o primeiro grande evento da nova administração da cidade de São Paulo. Parabéns! Trata-se de um início com chave de ouro, pois a bandeira do respeito à diversidade racial e religiosa é um dos campos que mais carece de atenção do poder público, mas geralmente é esquecido ou deixado para segundo plano. A gestão Haddad demonstra pela promoção do Ato do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, 21 de Janeiro, que é sensível às demandas sociais e ao clamor por uma cultura de respeito e paz social.
Postar um comentário