quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Relembrando o Festival de Liberdade Religiosa no Ginásio do ibirapuera em 2006

Festival de Liberdade Religiosa atrai mais de 30 mil pessoas em São Paulo em 2006. No dia 25 de maio de 2013 são esperadas 80.000 pessoas no Vale do Anhangabaú para o 2º Festival Mundial de Liberdade Religiosa. No filmete abaixo tenha um vislumbre do que foi o evento pioneiro no Ibirapuera. Relembre também a reportagem da época:
Sinval Aragão

São Paulo, SP ... [ASN] O I Festival de Liberdade Religiosa promovido pela sede da Igreja Adventista na América do Sul, a Divisão Sul Americana (DSA), aconteceu sábado, 10 de junho, e atraiu mais de 30 mil pessoas. O evento foi realizado no ginásio do Ibirapuera em São Paulo, local de grandes eventos internacionais, com a participação de diversos grupos musicais, solistas, autoridades políticas e eclesiásticas. “Essa foi a maior concentração de pessoas em torno do tema liberdade religiosa já vista”, disse o pastor John Graz, líder da International Religious Liberty Association (IRLA), que esteve no Brasil especialmente para participar do evento.

“Celebramos a liberdade religiosa porque um povo que não tem liberdade não tem como reivindicar direitos. Louvamos a Deus porque vivemos em um país livre de guerras e intolerância religiosa e através da música podemos expressar essa gratidão”, disse o pastor Williams Costa Júnior, líder de Comunicação e Liberdade Religiosa da DSA.

A programação foi transmitida pela TV e Rádio Novo Tempo para todo o Brasil e contou com a participação dos maiores nomes da música adventista brasileira, entre eles um coral com 1 500 estudantes das escolas da Associação Paulistana AP e do Centro Universitário Adventista (UNASP). “As crianças integrantes dos corais dos colégios cantavam em meio a um clima de muita alegria”, lembrou Marilene Mateus, diretora do Colégio Adventista de São Caetano do Sul.

Intercalados com os musicais, depoimentos e textos sobre a liberdade religiosa foram apresentados por convidados especiais, e todo o auditório participou de um louvor congregacional acompanhado de uma grande orquestra. “Temos que mostrar ao mundo que liberdade religiosa é um direito, e através do louvor, temos essa oportunidade. A programação foi inspiradora, creio que atingiu seus objetivos. Foi muito emocionante”, disse Sérgio Borges, micro-empresário que foi acompanhado de um grupo de amigos.

O pastor Almir Oliveira, líder de Liberdade Religiosa e departamental de Educação da AP, avalia como positiva a participação do coral da escola que “mostrou a qualidade da educação adventista e apresentou um bom testemunho” para os que não conhecem a Jesus. “Muitos pais de alunos se emocionaram ao ver seus filhos a ali cantando”, disse o pastor Almir.

O evento foi marcado para iniciar às 17h, mas por volta de 16h45 o ginásio já estava lotado com mais 12 mil pessoas e a policia foi obrigada a fechar os portões. “O comandante da Policia disse que chegou a ter 20 mil pessoas lá fora e que por questões de segurança teve que evitar a entrada. A vinda destas 32 mil pessoas teve um lado positivo porque mostrou que o povo acreditou no programa de Liberdade Religiosa, porém, o ponto negativo foi o fato de não podermos acolher a todos”, lamentou o pastor Williams Costa Júnior.

“Quando soube do que tinha acontecido pensei e orei bastante. Depois, fui a cada portão do ginásio falar com nossos irmãos. Disse-lhes que ficassem calmos que estávamos providenciando uma solução para eles entrarem. E depois que as 1 500 crianças cantaram e que foram embora, juntamente com os pais e professores, então, muitos puderam entrar e assistir a programação que foi encerrada às 20h19”, disse Costa Júnior, que também esteve responsável pela programação.

Para o pastor Walter Araujo, líder de comunicação e Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) da AP toda essa movimentação foi uma demonstração do “poder de mobilização de nossa igreja em São Paulo” e mostrou que “nossos irmãos valorizam e apoiam projetos de evangelismo e liberdade religiosa”, disse o pastor que ficou responsável por parte da assessoria de imprensa do evento.

“O Festival além de uma celebração agiu como uma oportunidade para reconhecermos publicamente as bênçãos e vitórias alcançadas na área da Liberdade Religiosa em vários Estados do Brasil, particularmente no Estado de São Paulo pela promulgação da Lei Nº. 12.142/05, de autoria do Deputado Estadual Campos Machado, que dá direito aos guardadores do sábado de fazerem provas em outras dias”, disse Samuel Luz, presidente da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (Ablirc).

Antes de embarcar para Washington, John Graz, que além do evento de sábado, participou da reunião na quinta-feira, 8, com o governador de São Paulo, Cláudio Lembo, e no domingo, 11, do I Fórum Brasileiro de Liberdade Religiosa, resumiu os três encontros afirmando que “foi um final de semana foi histórico” e que de agora em diante “viveremos um novo tempo para a Liberdade Religiosa no mundo”.


Através da internet o I Festival de Liberdade Religiosa foi acompanhado por milhares de pessoas de outros paises. Até a terça-feira, 14, dois dias depois do evento, cerca de 850 mil acessos. Destes, mais de 392 mil foram do Brasil, 6 800 de Portugal, 3 200 do Japão, 810 do México, 719 da Alemanha, 670 da Holanda e 527 da Argentina. Somente no dia do programa ocorreram quase 125 mil acessos, 14,67% do total.



Fonte: ASN - Pesquisa Google
Fotos: Danilo Gama - Google Imagens
Postar um comentário